Por Kimberly Ferreira Enfermeira – COREN RS 552072

 

No inverno são muito comuns termos fortes dores de ouvido, você com certeza já passou por isso ou algum familiar seu. Essa dor ocorre devido à infecção por um vírus ou uma bactéria, durante ou após uma gripe, resfriado, infecção de garganta ou uma alergia. Toda infecção de ouvido é chamada de otite, quando a infecção atinge a orelha média (tímpano, câmara timpânica, pequenos ossos do ouvido e a tuba auditiva) é chamada especificamente de otite média.

Segundo o Ministério da Saúde a otite média é a principal causa de dor de ouvido e pode variar de leve a muito intensa, congestão nasal e tosse freqüentemente precedem a dor de ouvido, febre em alguns casos. Nas crianças, as tubas auditivas, que fazem a ligação da orelha com o nariz, são mais estreitas e têm posição mais horizontal, o que dificulta a drenagem de secreções e favorece a migração de micro-organismos infecciosos das vias respiratórias para a orelha. Além disso, elas ainda estão com o sistema imunológico em desenvolvimento e costumam ficar por mais tempo em locais fechados com aglomerações, como creches e escolas, o que facilita a transmissão de vírus e bactérias.

Além de que crianças que convivem com fumantes têm maior risco, pois estão mais sujeitas a infecções do trato respiratório. Também são mais vulneráveis a essa infecção crianças com síndrome de Down, as que possuem fenda palatina, fibrose cística e as que não foram amamentadas.

É recomendado procurar um médico, que neste caso pode ser um clínico geral, caso seja um episódio repetitivo também pode fazer uma consulta diretamente com o especialista otorrinolaringologista. Durante a consulta com o médico, para que o problema seja identificado você precisará informar o histórico dos sintomas e permitir a avaliação do ouvido com o otoscópio para ver se há saída de algum líquido, sinais de inflamação e dor.

O tratamento da otite média consiste em tratamento farmacológico com analgésicos e em alguns casos antibioticoterapia. Na maioria das situações o organismo se encarrega de combater a otite média, nas crianças os sintomas podem se prolongar por tanto é importante uma consulta com o pediatra para indicar as medicações ideais para cada idade. É importante ficar atento á evolução do quadro, pois se a infecção não for tratada pode haver perda total da audição.

Complicações da Otite média precisam ser prontamente identificadas e podem requerer medidas urgentes. Infecções graves podem ocorrer por contigüidade: meningite, abscesso cerebral e trombose de seio venoso. Febre, cefaléia intensa, sinais meníngeos, alteração do nível de consciência, achados neurológicos focais e toxicidade são sinais de alerta para procurar atendimento de alta complexidade.

Para lidar com a otite média siga as seguintes orientações:

  • Não se automedique nem siga sugestões de conhecidos para aliviar a dor de ouvido;
  • Proteja o ouvido contra a entrada de água quando mergulha ou nada;
  • Evite o uso de cotonetes que podem retirar a cera protetora do ouvido ou machucá-lo;
  • Limpe com freqüência as secreções nasais provocadas por gripes e resfriados, a fim de evitar que o catarro se acumule no nariz e na garganta.

IMPORTANTE : Somente um médico pode diagnosticar doenças, indicar  tratamentos e receitar medicações. O conteúdo apresentado possui apenas caráter informativo.

 

Referencia

MESQUITA, David Karlos Miranda; MAIA, Ednei Costa, PESSOA,Fabrício Silva,  SOARES, Walquiria Lemos. Saúde da Criança e a Saúde da família: principais agravos na saúde da criança, São Luis, 2014. Disponível em < http://repocursos.unasus.ufma.br/atencaobasica_20161/modulo_6/und3/media/pdf/livro_pdf.pdf > Acesso em 21 de maio de 2020.